Alimentação é Prioridade

alimentação é prioridade

Comer saudável tem a ver com respeitar as necessidades do corpo em cada etapa da vida.

Por Alice Azara, estagiária de escrita com a colaboração de Anelize Moreira, gerente de escrita do Vida Veda

Seguindo nossa programação sobre os 4 Pilares da Saúde, chegamos ao pilar que causa grandes debates e questões tanto para a classe médica quanto no nosso dia a dia: Alimentação. A cada momento surgem novas tendências de superalimentos que devem ser consumidos diariamente, dietas malucas que tentam nos encaixar no padrão de corpo ideal e mais e mais vitaminas em cápsulas que devemos adicionar à nossa rotina. Mas, afinal, como podemos melhorar nossa alimentação?

Passamos por diversas fases em nossa vida e, dessa forma, nosso corpo necessita de alimentos diferentes a cada momento. Respeitar cada um desses momentos é fundamental para manter uma boa saúde.

Christiane Alves, atriz, apresentadora do programa Vida Veda Na Cozinha e mãe do Vd. Matheus Macêdo, compartilhou conosco um pouco sobre as mudanças alimentares em momentos importantes da sua vida. “Fui mãe com 20 anos, e a minha alimentação até os 20 anos era uma alimentação de criança basicamente, bem infantil. Quando eu engravidei do Matheus, com 19 anos, eu comecei a mudar a alimentação porque eu precisava colocar mais alimentos diferentes na minha dieta para ter uma gravidez mais saudável. Depois que o Matheus nasceu, mudou também.”

Para ela, os dois marcos mais importantes de mudanças na alimentação foram a gravidez e a ida do Matheus para a Índia. “Quando o Matheus foi estudar medicina Ayurveda, aí tudo mudou mesmo. Comecei a ver a alimentação como uma fonte real de saúde e bem viver, e comecei a focar e priorizar na minha vida os 4 Pilares.”

Enfrentar fases de mudança alimentar não é um processo que se limita à vida adulta; por isso, devemos estar atentos(as) ao fato de que tais etapas devam ser levadas em conta também nas abordagens quanto à alimentação na infância. Para a nutricionista Ana Paula Sanches, especialista em nutrição pediátrica, clínica e materno infantil, é importante entender que esses períodos são normais: “Quando a criança começa a crescer um pouco mais vem isso de ‘Nossa, mas antes comia mais e agora come menos’, mas são fases. Tem fase que a criança realmente diminui a aceitação alimentar e tem outros focos.”

Ao falar sobre a quantidade de alimento que crianças devem ingerir, Ana Paula ressalta que “Comer bem não é comer ‘pratadas”, ou seja, comer bem é se alimentar com qualidade e estar atento ao contexto das refeições no decorrer do dia. Nos dias de hoje, é comum nos atentarmos somente à quantidade de refeições que fazemos ou à quantidade de calorias que ingerimos na busca de uma dieta saudável. Desta forma, caímos no erro de seguirmos parâmetros externos de alimentação e não escutamos nosso corpo (de quais alimentos de fato precisa), esquecendo de observar nossa fome.

De acordo com o Ayurveda, a melhor forma de entender quando e quanto se deve comer é prestando atenção na sua fome e a escolha cuidadosa dos alimentos é essencial para que se alcance uma saúde plena. “O Sushruta Samhita, um dos textos mais clássicos do Ayurveda, tem uma frase clássica que diz o seguinte: uma pessoa saudável deveria comer duas vezes ao dia, e uma pessoa doente deveria comer uma vez.

Hoje em dia, muitas das doenças que a gente vê por aí são Samtarpana Vyadhi, doenças de excesso de nutrição em quantidade e erro de nutrição em termos qualitativos”, explica o Vd. Matheus. “Para o Ayurveda, comer a cada duas ou três horas pode gerar uma digestão mal feita desses alimentos, o que pode acarretar doenças de excesso de nutrição ou doenças que têm na sua base o conceito de Ama, alimentos mal digeridos ou crus.”

E como começar a consumir alimentos saudáveis quando você e sua família não estão acostumados? Ao falar sobre introdução alimentar infantil, Ana Paula Sanches dá uma dica que serve para todas as idades: não deixe de tentar experimentar alimentos dos quais em algum momento você não gostou; explore receitas, novas formas de incluir o ingrediente nos pratos e varie as apresentações. 

Esta tática funcionou para a Chris nos momentos de mudança alimentar: “Eu sempre pesquisei alimentos saudáveis e eu comecei a não pensar mais se eu gostava ou não, comecei a acrescentar alimentos saudáveis simplesmente porque eram saudáveis e aí, aos poucos, eu fui adquirindo prazer em comer esses alimentos.”, diz a apresentadora do Na Cozinha.

Ao entender o valor de se nutrir melhor, Chris passou a fazer mudanças graduais sem tomar medidas drásticas. “Eu troco o prazer de um alimento que tem muito sabor de que eu goste muito, por exemplo, batata frita, por um alimento mais nutritivo que vai fazer bem pro meu corpo, pra minha mente, pro meu sono, pra minha disposição, por exemplo, batata rústica de forno assada. Comecei a colocar o prazer e o foco na minha saúde e no bem viver. Comecei a ter prazer em me sentir mais saudável”, conta Chris.

E, para comer saudável, não é necessário que você abra mão do prazer de experimentar alimentos gostosos, que cozinhe receitas mirabolantes ou que exceda seu orçamento! Comece pelo simples: explore a versatilidade dos alimentos em diferentes preparações, teste substituições saudáveis, invista em um bom tempero e, até mesmo, envolva a família no processo de planejamento do cardápio, como recomendado pela nutricionista Ana Paula.

No final das contas, de acordo com o vaidya Matheus Macêdo, alimentação pode ser definida de uma forma bem simples: é um sistema de prioridades.

Propomos, portanto, que você comece a tornar sua saúde alimentar uma prioridade na sua vida! Comece observando sua fome: quando e como ela surge? 

Depois disso, siga a recomendação do Vd. Matheus de iniciar um diário alimentar: escreva tudo o que você come, o horário em que você comeu e como você se sentiu após as refeições. De acordo com o que você observou no seu corpo, sublinhe o que você percebe que não lhe faz bem e que, ainda assim, você come. Após esse processo, conte quantos alimentos você sublinhou. 

“Se todo dia você sublinhar uma coisa, se toda refeição você sublinhar uma coisa, cada coisa sublinhada é um sinal de incoerência. Você precisa assumir a responsabilidade do que você está fazendo de errado e eliminar o que você sabe que não lhe faz bem”, explica Matheus.

Que tal então começar o seu diário alimentar agora mesmo? Compartilhe com a gente as suas mudanças e lembre-se: o que você prioriza pode definir uma vida menos ou mais saudável.

Related Articles

Responses

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *